Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

02
Fev10

A balança do poder... (Parte 1)

Castro

Graphic of hourglass, colored in blue and grey; a circular map of the western hemisphere of the world drips from the top to bottom chamber of the hourglass.

 Muito se fala do poder das grandes corporações, governos e de todo e qualquer interesse instalado que se movimenta para lá das leis nacionais e internacionais para benefício próprio. Todos sabemos que isso é uma realidade, e muitas vezes pensamos que o único papel que nos resta é falar, falar e falar um pouco mais, pois sabemos que essas corporações têm imenso poder e conseguem dissimular quase tudo. Quando existe uma falha, e um desses esquemas vê a luz do dia, o sistema vê-se obrigado a actuar, o que resulta normalmente em anos de tribunais que resultam em... nada. Não sou um teórico de conspirações, bem pelo contrário, quando quero tomar uma posição gosto de ter factos, mas bem sabemos que em casos destes esses factos muitas vezes estão guardados a sete chaves.

  Alguns amigos meus, mais conservadores, atiram-me com o argumento que essas histórias são fruto de mentes anti-globalização fertéis de mais, e na verdade que mais posso dizer se não tenho factos para rebater?

 

Onde eu quero chegar com tudo isto é ao facto de, normalmente, quando um grande esquema é desvendado, acontece porque algum pobre desgraçado ganha coragem e denuncia. Normalmente acaba inundado em burocracia legal existente para proteger essas mesmas corporações ou governos. Isso mudou em 2006. Um grupo de activistas criou um sítio, wikileaks, em que a sua única função é receber e publicar documentos incriminatórios sobre governos e corporações. A única função do sítio é verificar a sua veracidade e colocá-los disponíveis para toda a gente ver. Porque é que isto é inovador? Dois motivos, primeiro permite ao delator uma barreira de protecção legal que de outra forma não teria, segundo está acima de qualquer lei nacional ou internacional de bloqueio de privacidade criada (também)  para proteger esses mesmos interesses. 

 

Não me quero prolongar em descrever o que é o wikileaks, pois tenho uma opinião muito pessoal, e quero reservar-me, para que vocês possam formar a vossa opinião sem qualquer tipo de influências de leituras pessoais. De referir, no entanto, que neste momento o sítio não está a divulgar documentos, apenas a recebê-los, por dificuldades financeiras. No entanto, aconselho-os a irem ao sítio, pois tem dois vídeos que explicam mais detalhadamente o que é o wikileaks. São em inglês e um bocado massudos mas aconselho vivamente a vê-los.

 

Assim que passar algum tempo, para poderem conhecer melhor este projecto, prometo uma segunda parte para explicar, traduzindo em casos reais, como este sítio já contribuiu para um pouco mais de transparência.

 

 Wikileaks has probably produced more scoops in its short life than the Washington Post has in the past 30 years 
—  The National, November 19. 2009

 

www.wikileaks.org

 

Aqui deixo dois vídeos que explicam o que é o wikileaks. O segundo vídeo tem sete partes, mas vale a pena ver pois é a apresentação pelos próprios fundadores.

 

 

1 comentário

Comentar post