Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

29
Set12

Estes dias que passam 286

d'oliveira

Que mal fizemos nós a Deus para aturar isto?


Um pobre diabo que dá por António Borges e é “conselheiro do Governo para as privatizações”, entendeu, do alto da sua imensa toleima, chamar “ignorantes” aos empresários que criticaram a política relativa à TSU.

Borges, o desenfreado, entende que estes empresários chumbariam no 1º ano da faculdade onde ele, o génio, dá aulas à plebe inculta.

Na plateia o coleguinha Relvas, perdão dr. Relvas, que não desmerece de Borges (pelo menos no mau gosto quanto a gravatas) sorria embevecido.


Por mero acaso, um site americano assinado por notabilidades de peso na Economia, dizia que Portugal marcou um auto-golo com a cretinice da baixa da TSU para empresários...

 

Contaram-me, hoje mesmo, que o aparatoso Borges esteve para ser agredido por um cidadão que só o não fez por ter sido agarrado por dois colegas que lembraram ao indignado ser  pai de filhos.

Um dia destes, algum cavalheiro, livre de filhos mulher e cadilhos, disparata e dá a Borges dois safanões, plenamente merecidos. La lhe estragam o penteado, os loiros (pintados?) cabelinhos e cara de sonso. Não o desejo, não o faria (para não sujar a mão envelhecida...) mas nunca o lamentarei. Quem anda à chuva... molha-se.

Eu que não sou empresário, que nunca o quis ser, que suspeito que não será a companhia adequada para o bridge e para uma conversa sobre livralhada, temo bem que, mesmo assim, prefira esta gente a Borges.

Borges não percebe nada, rigorosamente nada, do fenómeno “desconfiança” que assola a maioria imensa dos portugueses. Sobretudo do que se passaria nas empresas se a coisa fosse para a frente. (a menos que Borges seja un agent provocateur de alguma desconhecida carbonária bolchevista...). Borges deve ser cego, surdo e parvo ao não ver como as pessoas se manifestam. Se as eleições fossem hoje, Borges poderia fazer as malas e voltar para a lura onde estava, pois os seus amigalhaços provavelmente perderiam fragorosamente as eleições.

Borges, o sapiente inculto, ignora tudo do mundo empresarial e nem sequer deve saber que há assalariados, para não dizer operários, muito menos proletários.

De cada vez que abre a boquinha mimosa arrota um parvoejada e torna ainda mais difícil a tarefa dos seus actuais patrões.

Borges pode estar carregado de diplomas mas nem isso o salva de não perceber nada de nada do que é mundo real.

Deixemos este boquirroto espairecer a sua balivérnia por aí. Alguém lhe há de ensinar a usar uma gravata de bom gosto e a calar-se.