Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

01
Ago13

Au bonheur des Dames 346

d'oliveira

 

E nós pimba!3#$!!!&***?..., 

 

 

Leio nos jornais que um trabalhador bêbado, afinal, "pode esquecer as agruras da vida e empenhar-se muito mais a lançar frigoríficos sobre camiões" e "o público servido até pode achar que aquele trabalhador alegre é muito produtivo". Sic !!! 

Acham estranho? 

um cavalheiro borracho pode ser mais produtivo, mesmo se em trabalhos chatos como a recolha do lixo. 

Pelo menos se o lixo é constituído por frigoríficos decrépitos de que os abstémios proprietários  se querem desembaraçar. 

Desconheço se o restante lixo está abrangido pela sentença do Tribunal da Relação do Porto. 

Desconheço se os senhores juízes previram que um frigorífico entusiasticamente lançado pelo cavalheiro em estado de ebriedade pode não cair dentro do camião do lixo mas fora, suponhamos na rua, em cima de um caro ou de algum cidadão igualmente etilizado que se deteve a olhar para a tarefa dos comparsas lixeiros. 

Parece que os ilustres magistrados acentuaram no seu douto acórdão "as agruras da vida". E quem, mais do que eles a quem é submetida toda a miséria, todas as infâmias, todos os desgostos do mundo, pode saber o que são agruras da vida mesmo sem aspas? 

Será que para obter melhor justiça, mais rápida, mais consentânea com a realidade que vivemos e a que mal sobrevivemos, teremos de pedir que na sala de audiências se exibam umas garrafas de vinho, de aguardente, meia dúzia de cervejas, quiçá one botle of scotch whisky, soda a rodos e um balde de cubos de gelo? 

E os advogados? Deverão entornar-lhe (e eu até conheci vários que lhe davam forte e feio, a pontos de clientes desconfiados e estupidamente abstémios fugirem a sete pés ou rezarem para que as audiências fossem pela manhã. 

E a restante panóplia judiciária desde o diligente escrivão até ao oficial de diligências? Podem beber ou não merecem, dado o seu cargo inferior e a sua limitada responsabilidade, uma dramática lei seca? 

E, já agora: uma testemunha grossa como um carro será. por isso mesmo, pela alegria, uma testemunha mais fiável do que uma carrancuda criatura que até o sumo de laranja considere como anti-saudável? 

ai leitores e amigos que desertam para o sal o sol e, eventualmente, o sul, entramos na silly season e enquanto o calor aperta, dêem-lhe nas bejecas frescas, frequíssimas, no balãozinho de whisky on the rocks no fim do almoço ou, no caso de veranearem pelos Aaaalgarves. um medronho bem aviado!

Sabe bem e tem essa desculpa sempre benvinda de aumentarem a produtividade, mesmo que seja o dolce farniente das férias. Se calhar nada-se melhor e ficamos morenos mais depressa.