Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

17
Ago10

O mar avança

José Carlos Pereira
Regressado de uns dias de férias no Algarve, não resisti a dar nota do avanço do mar sobre as praias, colocando em causa apoios de praia e outras construções menos efémeras. Consequência ou não das alterações climáticas, esta foi uma realidade que me surpreendeu de um ano para o outro.
Frequentador assíduo da praia do Barranco das Belharucas, a seguir a Olhos de Água e no início da praia da Falésia, em Albufeira, constatei que as marés do Inverno passado terão roubado cerca de dez a quinze metros ao areal, o que se nota particularmente aquando da preia-mar. Como se vê nas fotos acima, a água quase chega aos toldos e aos bares. Só com a baixa-mar se pode gozar do imenso areal desta bonita praia.
Por aqui já me cruzei, em anos anteriores, com Cavaco e Sócrates e faço votos para que este avanço marítimo não lhes tenha causado incómodos maiores...
05
Ago10

Espectáculo degradante

José Carlos Pereira

O desfecho do caso "Freeport" trouxe à vista de todos o estado em que se encontra a Justiça em Portugal e muito em particular a vertente de investigação a cabo do Ministério Público. Depois de anos e anos de pequisa e de inquirições, tudo culminou com a acusação de tentativa de extorsão a duas pessoas envolvidas no caso.

Não contentes com os elementos - e com os resultados - à sua disposição, os investigadores decidiram atirar a lama para o ar e enumerar uma série de questões que ficaram por colocar ao então ministro José Sócrates e ao então secretário de Estado Pedro Silva Pereira. As questões só não foram colocadas antes...por alegada falta de tempo!

Esta posição dos investigadores "tirou do sério" o Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, que decidiu instaurar um inquérito à investigação do Ministério Público. Pedro Silva Pereira reagiu na terça-feira na SIC e o Sindicato dos Magistrados do Ministério Público tomou as dores dos seus filiados e atirou-se ontem a Pinto Monteiro. Uma carta-aberta verdadeiramente inacreditável, por colocar em causa todos os princípios da hierarquia das organizações.

Este clima de guerra aberta no Ministério Público, em que ressalta a defesa de interesses corporativos e um evidente ajuste de contas com o governo socialista, interessa a quem? Não percebem os políticos de todos os partidos que, se nada fizerem, ficarão todos diminuídos perante o  "poder" imaculado do Ministério Público? Queremos um Estado controlado por magistrados inimputáveis?

Por mim, defendo uma Justiça forte e actuante, mas não quero ficar refém de justiceiros à solta.

 

03
Ago10

...

d'oliveira

mcr retira-se por momentos para as paragens acima vistas e que correspondem ás traseiras da sua casa.

Boas férias para todos, leitorinhas, bloggers e cavalheiros conspícuos que frequentam esta casa.

Pág. 2/2