Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

03
Abr12

Intento (24)

sociodialetica
 “Cada substância individual exprime, à sua maneira, todo o universo”
Leibnitz in Will Buckinghan, al., Tous Philosophes. Les grandes Idées tout simplement. Editions Prisma, 2011, pag. 136
03
Abr12

Uma lástima

O meu olhar

 


A comunicação social em Portugal anda pelas ruas da amargura, Busca-se informação nas televisões e só se encontram opiniões centradas maioritariamente na esfera política do PSD. Quando tomou posse este Governo deu o mote: havia que ter cuidado com as notícias porque a paz social era fundamental para a nossa imagem externa e para o dinheiro entrar com o santo nome de “ajuda externa” apesar de pagarmos juros elevados. Mas esta é outra questão. Agora interessa-me falar da comunicação social porque está de facto um sufoco. Lembro com saudade do tempo em que” havia asfixia democrática” e se ouvia na rádio e nas televisões constantemente a falar mal do Governo em geral e de Sócrates em particular. Sentia de facto a asfixia: não se falava de outra coisa. Tínhamos oportunidade de ouvir a oposição ( toda), os sindicatos, os comentadores próximos do PSD. Vivíamos então numa época plena de asfixia.

 

Hoje respira-se o ar puro da liberdade… condicionada.

 

Um exemplo: hoje ouvi a TSF que fez um Forum sobre as novas medidas que levam à redução do apoio a quem está de baixa. O gestor do fórum para introdução do tema escolhe alguém ligado ao Dinheiro Vivo que chama a atenção para o perigo destas medidas mas no fundo o que aponta é para o apoio às mesmas. O dito gestor do programa refere também o ponto de vista do patronato e abre o Forum com uma pergunta mais ou menos assim: concorda que estas medidas vêm introduzir rigor e justiça no sistema como defende o Governo?

 

Nem mais. Um mimo. Isto é manipular as pessoas, é fazer delas idiotas.

 

Não ouviu as centrais sindicais nem referiu as suas posições. Da oposição só ouviu o PS e esteve o tempo todo a provar que não ouvia ( ou não percebia) nada do que lhe era dito apesar da mensagem ser clara. De tal fora que a representante do PS teve que repetir a mesma mensagem inúmeras vezes e reforçar que no tempo de Durão Barroso estas medidas também tinham sido tomas. O Governo do PS repôs a normalidade quando ganhou as eleições e atacou a fraude ao sistema triplicando as Juntas Médicas: resultado o valor total dos encargos com as baixas médicas diminuíram apesar dos apoios terem sido aumentados. Isto não é novidade. Quem seguiu estes processos na altura sabe que os números provam esse facto.

 

No entanto, o ministro vem com falas demagógicas tentar convencer o povo que isto é feito em nome do rigor e da justiça. Mas tem sorte. A comunicação social dá-lhe uma boa ajuda e o povo que não tem tempo nem local para se informar acredita.

 

Uma lástima a nossa comunicação social.

 

Já ontem tinha ficado boquiaberta com o posicionamento de defesa fervorosa das medidas do Governo assumido por José Alberto Carvalho na entrevista a José Seguro.

 

Afinal a comunicação social está ao serviço de quem? Da missão de informar com rigor, objectividade e isenção, não é com certeza!

 

Uma lástima.

Pág. 4/4