Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

14
Jan16

estes dias que passam 340

d'oliveira

images.jpeg

Eles falam, falam, falam...

0u

tu Marcellus eris*

 

A candidata Marisa Matias descobriu a pólvora: em transporte ferroviário, a Península está isolada da Europa! Ora toma lá, que já bebes! Esta novidade que o é desde que as linhas férreas portuguesas se ligaram às de Espanha (antes tanto fazia) tem suponho mais de cem anos. A diferença de bitola existiu desde o primeiro dia por razões variadas entre as quais a militar. Parece que seria mais difícil adaptar um comboio invasor europeu à bitola espanhola.

A senhora candidata provavelmente por ser uma mulher relativamente jovem não deve nunca ter tomado o Sud Express para um saltinho para lá dos Pirineus. Veria, mesmo de olhos fechados que na fronteira hispano francesa se procede a uma pausa para trocar os rodados (julgo eu) ou para fazer qualquer outra coisa que permita ao nosso comboio chegar a Paris.

A culpa da declaração que veio em parangonas nos jornais não é tanto da criatura que a proferiu mas do repórter bacoco que, à falta de mais e melhor substância, deu aquilo à estampa.

Isto recorda-me uma grave tomada de posição ferroviária do BE aqui há um par de anos e que consistia em exigir ligação ferroviária entre todas as capitais de distrito. Eu sei que o BE é constituído por malta nova que nunca foi obrigada a decorar as linhas férreas, mai-as estações, apeadeiros e não me lembro que mais. Nesse tempo infame qualquer pobre criancinha da 3ª ou 4ª classe, além de ter de saber ler, escrever e contar perfeitamente também tinha que vozear o sistema orográfico, o hidrográfico, a história de todos os reis, a gramática elementar e o sistema ferroviário. E sabia que todas as capitais de distrito, todas, repito, estavam ligadas ferroviariamente. Mais tarde, a campanha de embrutecimento escolar e o transporte rodoviário mataram muitas dessas ligações, incluindo o facto de elas terem existido.

O novo (e menos divertido) cónego Remédios que representa as cores do “proletariado, dos pequenos e médios camponeses, dos trabalhadores em geral e da enorme maioria do povo português”, ao ser interrogado sobre a existência de democracia na formidável Coreia do Norte, rabiou, ziguezagueou, espirrou, expirou e finalmente confessou que “a “democracia não era o privilégio” da Coreia do Norte. Perceberam? Eu também não. Ou melhor: percebi que o apóstolo de Marx, Engels, Lenin, Stalin e, já agora, Brejnev tinha, in imo pectore, um facataz pelos pais, filhos e netos da pátria que vem governando a ridente e próspera Coreia do Norte onde à falta de pão para a populaça há umas bombitas atómicas a mais. Começa-se a perceber como é que Jardim governou tanto tempo. Com oposições deste jaez milagre foi não ter continuado.

O senhor Rebelo de Sousa achou engraçadíssimo ir visitar uma sede do senhor Sampaio da Nóvoa. No fim da gloriosa incursão, quando lhe disseram que ali não amealharia nenhum voto, respondeu com ar misterioso que o voto é secreto. E nós que não sabíamos!...

E confia na profecia de Anquises reproduzida no subtítulo. Convém que não olvide o facto de Marcelo, general glorioso, ter morrido, muito jovem, em combate contra os cartagineses. Há destinos assim: muito poéticos e pouco práticos...

A minha amiga Maria de Belém quer levar, se for Presidente, os colegas estrangeiros a um lar da 3ª idade para almoçar. Porque não levá-los ao jardim zoológico? Ou ao cemitério dos Prazeres? Francamente, não era necessário...

O candidato Nóvoa arranjou três padrinhos de prestígio, todos ex-presidentes, todos enlevados no aparecimento daquele cometa que vindo do nada sideral pretende aterrar no palácio de Belém. Desconhecem-se ainda hoje os motivos que terão levado as três fadas madrinhas a escolher alguém que, até há um, dois anos ninguém conhecia politicamente. Quando digo “desconhecem-se”, devo abrir uma excepção: o senhor general Eanes confessou que vê em Nóvoa um próximo parente (político, supõe-se) de Cavaco Silva que ele, Eanes também apoiou. Concordo a 60% com o ilustre militar: Nóvoa, mesmo sem ir à Figueira, mesmo sem ter militado, mesmo sem ter sido ministro das Finanças, é também uma aparição fantamasgórica, um acaso da História pátria, um milagre anunciador da ascensão de uma certa classe muito pequeno burguesa que se fez a si própria. Não que o senhor Nóvoa venha dessa mesma pequeníssima burguesia, pois parece que que vem de outro estrato social. Todavia, vem do mesmo desconhecimento público, do mesmo não empenhamento, do mesmíssimo anonimato. Vai-se pela criatura mesmo depois do 25 A e nada. Estava onde? Foi à fonte luminosa, andou nas guerras de 25 N? Foi otelist, sá carneirista, eanista ou estava ausente e em parte incerta. Além de umas citações zeca-afonsinas (e quem não cita JA?) de outras tantas de Sofia, o mesmo é dizer, além de uma vulgata pseudo-progressista, quem é a criatura, que é que pensou todos estes anos?

Diz-se que costa se enternece com ele. Mas Costa apaixona-se por tudo que lhe não cheire a Seguro. Costa não esquece o “alumbramento” (cfr Manuel Bandeira) que lhe deu aos tenros catorze aninhos quando viu a luz numa sede do PS e se alistou imediatamente. Claro que a culpa não é só dele. É do militante que lhe entregou a ficha em vez de o mandar jogar à macaca e fazer olhos ternos a uma miúda da mesma idade. Eu sempre receei os adultos que não tiveram juventude. Normalmente farão todas as asneiras desse tempo perdido já mais velhos e com piores, muito piores, consequências, como depressa se irá ver. Quanto ao senhor Nóvoa, apesar de eu ter pouca esperança no país, creio que depois desta fogachada desaparecerá como desapareceu o partido eanista que, por acaso (ou não?) deu cabo do PS e condenou-nos a Cavaco durante uma dúzia de anos. Lembram-se?

Dos restantes candidatos, nada a dizer. Neto prega no deserto algumas incómodas verdades, o cavalheiro anti-corrupção ainda não saiu da letra C e o resto dos candidatos está incomunicável. A 3ª senhora que chegou a aparecer, uma cidadã identificada com o partido dos animais e da natureza terá descoberto que não conseguia arranjar as assinaturas necessárias. O que, infelizmente, prova que estes ecologistas (bem melhores do que os da bengala do PC) são poucos e, eventualmente, um acaso daeleição legislativa passada. É pena mas é mesmo assim.

Ainda iremos gramar um dúzia de dias nesta algazarra. A cruzada anti Marcelo (RS), continua imparável. Eu lembraria aos seus tenores que as cruzadas, todas sem excepção, foram um desastre, especialmente a das crianças (1212) cujos membros foram aprisionados e vendidas como escravos em Argel ou Alexandria.

*Virgilio, Eneida, VI, 883