Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

26
Abr06

O 25 de Abril em Marco de Canaveses

José Carlos Pereira
Ontem, 25 de Abril, tive oportunidade de intervir na sessão solene que comemorou o Dia da Liberdade em Marco de Canaveses, integrada nas comemorações que acabaram por atrair a atenção dos principais órgãos de comunicação nacionais. Referi-me ao período singular que se viveu nesse concelho durante mais de vinte anos e também ao muito que ainda está por fazer, lembrando aos actuais responsáveis políticos as suas responsabilidades.

Mas comecei a minha intervenção, como seria natural, com a evocação do golpe militar que permitiu que a minha geração e as que se lhe seguiram crescessem numa sociedade aberta, plural e democrática. Enalteci a acção dos jovens capitães de Abril e entre eles destaquei, pela coragem, pela humildade, pelos valores, pelo desapego ao poder, o malogrado Fernando Salgueiro Maia.

No poema "O Revolucionário", a poetisa Sophia de Mello Breyner evocou, de forma sublime, a dimensão humana de Salgueiro Maia:

“Aquele que na hora da vitória
Respeitou o vencido

Aquele que deu tudo e não pediu a paga

Aquele que na hora da ganância
Perdeu o apetite

Aquele que amou os outros e por isso
Não colaborou com sua ignorância ou vício

Aquele que foi “Fiel à palavra dada à ideia tida”
Como antes dele mas também por ele
Pessoa disse”

Para o dOliveira: ontem falei a Isabel Pinto, advogada marcoense, na referência que aqui lhe fez. Ficou curiosa e disse-me que viria cá tentar perceber quem está por trás dOliveira. Aliás, quem me antecedeu na intervenção na sessão do 25 de Abril em Marco de Canaveses foi o seu filho, Filipe Baldaia.

4 comentários

Comentar post