Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

22
Mai05

"Um esqueleto no armário"

ex Kamikaze

Depois do silenciamento do seu blog A Revolta das Palavras, José António Barreiros faz sair o esqueleto do armário em O MUNDO EM GAVETAS

"22.5.05
Hesitante, o autor do blog assume hoje a sua autoria. Não para que o estilo mude, mas para que lhe seja permitido sair da clandestinidade subterrânea em que o criou, partilhando a sua existência com um pequeno grupo de amigos. Talvez tivesse sido necessário refugiar-me na mata espinhosa do anonimato, para conceber aí esta casa na duna, o mar como horizonte, a quietude de um lago, aí o mundo em gavetas, por arrumar. Aos que souberam partilhar esta discrição, o meu obrigado. De hoje em diante, o que houver de real nesta escrita será segredo só para quem o souber entender, o mais ficará como tentativa de literatura."

Actualização-Julho 05: mais um silenciamento à JAB! Desaparece O Mundo em Gavetas e renasce o Patologia Social !

« 28.6.05
Fechar gelosias
Tenho vindo a pensar. Estes cadernos, ao criarem a ficção do personagem, têm sido de facto um equívoco. Primeiro, porque confundem, aos olhos de quem lê, a sombra do acontecimento imaginado com o corpo da vivência real. Depois, porque instigam o seu autor a viver figuradamente como o ente por ele criado. Tudo isto faz sentido como vivência interior, num diário que se não partilhe, do qual se salve a inocência e de que ele nos salve a ousadia. Só que tudo isto tem sido público, pública a expressão, conhecida a pouca grandeza, difundida a muita miséria. Num país de heróis e de gente prática, criei, de facto, uma figura de que me não orgulho, em que apenas os seus momentos de recolhido sofrimento têm gerado alguma dorida comiseração em poucos dos seus leitores. Ente monótono, tornou-se-me aborrecido, ente complexo, confuso. Ficam os equívocos de que falei acima, o alimento eterno de toda a literatura. A ser, porém, literatura, antes fosse um livro em que tudo isto mistificasse de uma só vez, do que este esvair-se lento e diário, numa agonia que já incomoda, em que os dias de sol e de sorriso parecem estranha excepção a semanas de nevoeiro. Vamos pois ficar por aqui. Porteiro da minha própria casa, a quem me leu, agradeço pela vossa visita. Vamos fechar gelosias e recolher ao interior. Amanhã, quem sabe o que virá?

posted by José António Barreiros at 3:08 PM »

3 comentários

Comentar post