Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

03
Jun08

As eleições no PSD

José Carlos Pereira
Manuela Ferreira Leite foi eleita no passado sábado líder do PSD. É a primeira mulher a liderar um dos maiores partidos políticos em Portugal e isso já é um sinal dos tempos. A sua eleição foi também uma derrota das teorias de marketing político, da imagem, das agências de comunicação.
Confesso que estava à espera da sua vitória, muito embora fosse para mim uma incógnita a capacidade de Santana Lopes penetrar directamente junto dos militantes e de captar o seu voto, bem como o resultado da agregação de vontades e interesses em torno de Passos Coelho, mais por oposição aos “outros” do que propriamente pelas virtudes intrínsecas do candidato.
Venceu a ala mais institucional e conservadora do partido, uma mistura de ex-cavaquistas, ex-barrosistas e ex-mendistas, mas com uma margem suficientemente curta para manter o clima de tensão até às legislativas do próximo ano. Será curioso ver como fica a composição dos órgãos nacionais no congresso.
Passos Coelho cativou um sector mais jovem e irreverente, mas ficou refém dos apoios de Menezes e acólitos. A força dos votos que estes lhe deram pode ser também uma fragilidade para construir o seu próprio caminho, à partida excessivamente liberal para o eleitorado tradicional do PSD, seja nos costumes ou nas políticas.
PSL mostrou que ainda mexe, qual gato com sete vidas, e, apesar de limitado aos seus fiéis, acabou por ficar a apenas 700 votos de Passos Coelho. Não foi a catástrofe que muitos anunciavam e deu um rombo no porta-aviões de Menezes ao ganhar as eleições em Gaia.
Patinha Antão não era deste campeonato e o seu resultado demonstrou-o.
Agora vem aí a luta do “renovado” PSD contra Sócrates e o PS, mas Manuela Ferreira Leite parte com um handicap desvendado nesta recente campanha: a defesa do fim dos actuais regimes do SNS e da segurança social, com a apologia dos sistemas privados de protecção, não me parece que seja o melhor caminho para afirmar a vertente social-democrata (!) do PSD e conquistar os portugueses.

3 comentários

Comentar post