Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

30
Nov07

Farmácia de Serviço 40

d'oliveira

Ai os livros... (mais do mesmo!)

Eu tinha jurado a mim próprio que este ano ia ser de vacas magras. Pouca compra que o que por cá o que mais há é livros em lista de espera.
Mas o vício espreita a cada canto e as oportunidades saltam-nos ao caminho descaradamente.
Desta feita foi uma coisa que provavelmente vos despertará alguma reminiscência: A “Residência de Estudiantes” essa extraordinária instituição madrilena onde nos anos trinta se encontraram Lorca, Dali, Buñuel, Cernuda, Altolaguirre e Bergamín. Para não falar noutros frequentadores, Alberti à cabeça.
Agora a “Residência” é uma fundação muito embora ainda hospede por curtos espaços de tempo escritores e artistas. E é também uma editora! E que editora! Tenho aqui, acabadinhos de chegar, fresquíssimos portanto, cinco títulos de encher o olho e esvaziar a algibeira: “Luís Buñuel, el ojo de la libertad”, “Alberti, sobre los angeles”, “Ruedo Ibérico, un desafio intelectual”, “Luís Cernuda, álbum” e “Pablo Neruda, álbum”. Estes dois últimos são foto-biografias, muito ilustradas, capa dura, uma delicia. O Alberti é um catálogo lindísimo (como o Buñuel...) mas traz incluído o famoso livro que lhe dá título em fac-simile. Finalmente o catálogo do Ruedo ( e deve haver por aí alguém que lhe tenha frequentado a livraria em Paris, na R. de Latran) resume uma aventura a que nós portugueses deveríamos também estar gratos pois aquela casa e aquela editora também dedicaram alguma atenção às nossas desgraças. A Residência tem um belo site (www.residencia.csic.es) mas quem quiser encomendar fará melhor em telefonar. As pessoas de lá são atenciosas, entusiastas e percebem portunhol.
Sempre de Espanha, três novidades dignas de atenção: “sagas islandesas de los tiempos antiguos” (recolha de quatro sagas que à vista desarmada, não constavam de nenhuma recolha que eu conhecesse (e juro que conheço uma boa dúzia...). A responsabilidade da tradução é de Santiago Ibañez Lluch e a editora é a Miraguano. Sai a 15€. Um pouco mais caro deverá ser o último Reverte: “Un dia de cólera” (Alfaguara): o dois de Maio revisitado por um prosador ágil e competente. Finalmente é de chamar a atenção para o prodigioso Javier Marias de que se publicou há dias “Veneno y sombra y adios” terceira e ultima parte de “Tu rostro mañana”.
Passados os Pirinéus, suponho que já aqui referi uma revista chamada Telerama, muito orientada para as notícias do mundo dos espectáculos nomeadamente a televisão. Saindo dessa trivialidade a Telerama apresenta um copioso número de “hors-serie” de altíssima qualidade. Dei por eles graças a um admirável “René Char” e descobri depois que, de Brassens a Chagall, de Tati a Cézanne, de Verne aos Renoir pai e filho, há ainda disponíveis mais sessenta títulos. (www.telerama.fr) Com sorte e choradinho eles fazem 6€ por exemplar.
Na farmácia anterior referia a editora musical “brilliant classics”, um fenómeno de preços baixos e alta qualidade. Então não é que eles publicaram mais um caixote com as integrais sinfónicas de 12 conspícuos cavalheiros (Mozart, Beethoven, Haydn, Schubert, Mendelsohn, Schumann, Brahms, Mahler, Nielsen, Chostakovitch, Borodine, Dvorak e Muzio Clementi (1732-1832, de que nunca ouvi falar! )) São cem discos por 85€... Esperemos que a Fnac de cá se lembre de mandar vir. Senão já sabem: abeillemusique.com.