Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

27
Jul15

a varapau 20

d'oliveira

tumblr_nn0z7t9BEZ1ut3uqfo1_1280.jpg

 

(a política em férias 1)

Nem inteligência nem senso

Uma criatura que dá por Ascenso Simões apelou na sua página de face book a uma espécie de boicote do senhor Passos Coelho. Pelos vistos, este segundo cavalheiro, submeteu-se uma entrevista que, depois, era anonimamente pontuada. A coisa já, de si, parece (e padece) de uma parvoíce supina: umas criaturas sobre as quais nada se sabe (nem sequer se estão a ver a entrevista!...) dão-se ao trabalho de pelo telefone porem uma bola preta ou branca, ou algo no mesmo género no que vai sendo debitado pelo entrevistado. Fora o facto de, eventualmente, existirem, nada sabemos do seu interesse, da sua capacidade de avaliação, da sua honradez na mesma tarefa. Nada!

Como método para auscultar a opinião pública isto vale zero e permite toda a espécie de truques e vigarices.

Ora Ascenso que deve ter muito pouco senso, entendeu apelar aos amigalhaços para estes arrasarem a entrevista de Passos Coelho. A honestidade do método para desqualificar um adversário político está recolhida no fundo de uma fossa séptica. Todavia, além deste pequeno pormenor que reduz a ética política a um escarro, temos que é de uma estupidez total fazer a coisa assim, às claras. Ou às escuras que é uma mera espertalhice.

Ou seja, a batota evidente que a tonta emissora de televisão irá acompanhando minuto a minuto, nem sequer serve o partido do senhor Ascenso. Pode, até, ser contraproducente: inspira confiança num resultado futuro a partir de dados falsos.

(à parte: recordo que nas vésperas do terceiro mandato de Cavaco como primeiro ministro, estava de férias em moledo e num encontro de amigos em casa do escultor José Rodrigues, este me oerguntou se eu acreditava num bom resultado para o PS. Respondi-lhe que tudo me levava a pensar que seria já uma incomparável felicidade retirar a Cavaco a maioria absoluta. Um amigo comum, com importantes funções no PS, interveio afirmando ao boquiaberto José Rodrigues que eu além de pessimista crónico estava, no caso em apreço, absolutamente enganado. O PS, afirmava o meu amigo Alberto, ia ganhar. Só não podia afiançar uma maioria absoluta mas não a tinha por especialmente improvável. Entre o político no activo e esta humilde criatura, o Zé nem hesitou: acreditou piamente no primeiro. O resultado como se sabe, foi uma “banhada” ainda mais dura do que a anterior derrota. E Cavaco governou mais quatro anos numa total e bonançosa tranquilidade. O meu amigo Alberto tinha acreditado numas embaladoras pseudo sondagens e na complacente auto-cegueira dos que vivem em circuito fechado).

No caso deste Ascenso, que deve querer ser o Miguel Relvas de Costa, temos duas coisas: a patetice de publicitar um truque manhoso, melhor dizendo uma falcatrua, e a falta de senso comum de acreditar que uma campanha de sinais vermelhos significa qualquer coisa.

A isto, além de burrice catatónica, chama-se politiquice grosseira. A política anda em férias e o bom senso idem.

2 comentários

Comentar post