Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

22
Ago15

a varapau 24

d'oliveira

A cara cor de rosa

 

Algum leitor lembrará a questão do mapa cor de rosa? Para os mais esquecidos a questão era esta. Portugal, no terceiro quartel do século XIX,  invocava direitos históricos sobre um território imenso que unia Angola a Moçambique. Convém lembrar que, por essa época,  Portugal ocupava mal escassos territórios à beira mar quer em Angola e sobretudo em Moçambique. Lourenço Marques era flagelado pelas mangas vátuas, o Norte reduzia-se à Ilha de Moçambique, a um par de ilhas mais a norte (Ibo, p.ex.) e entre estas duas regiões só havia alguma ocupação na zona dos rios de Sena, dos prazos da Zambézia, Quelimane e Chinde e um pouco do hinterland de Sofala e de Inhambane.

Entretanto, a “pérfida albion” pretendia ocupar toda a gigantesca zona de influência de uma futura linha férrea Cabo Cairo. O imenso mapa cor de rosa era só isso, um mapa cobrindo terras quase desconhecidas onde não havia sombra de “ocupação efectiva” portuguesa. Nem meios de a levar a cabo...

O que ocorreu em seguida é conhecido. Depois de um primeiro mau acordo, recusado pela gritaria parlamentar, sucedeu-se um bem pior resultante do famoso Ultimato. Nessa altura, o patriotismo indígena ficou-se pela criação da “Portuguesa”, por umas procissões ululantes e pela cobertura com crepes da estátua de Camões.  

Poderíamos dizer que o mapa cor de rosa só existiu como propaganda. Tal e qual como os actuais cartazes do P.S. 

Não vou regressar à patética aventura dos cartazes habitados por pessoas que não deram a cara pelo que lá afirmam. Vou, tão só, analisar um outro com o dr. Costa. Nele, o actual líder do P.S. aparece com uma face rosada bem diferente daquela com que o conhecemos. O dr. Costa é filho de um amável senhor indiano que escreveu excelentes romances. Por razões surpreendentes (e que “a contrario” parecem ter origem estupidamente racial) os publicitários do dr. Costa entenderam branquear a criatura o que não só é absurdo mas, sobretudo, revelador de uma imensa estupidez. Seria engraçado se, por exemplo, o dr. Santana Lopes aparecesse com uma frondosa cabeleira ou a dr.ª Maria de Belém crescesse dois palmos bem medidos. Ou a nívea cabeleira do dr. Nóvoa regressasse a um tom negro e juvenil.

Infelizmente, nada disto acontecerá e apenas o dr. Costa irá enchendo as rotundas com a rotundo e rosado rosto. Imagino, aliás já ouvi, os comentários a tão bizarra transfiguração.

Haja um amigo de Costa que o previna deste destempero e que a razão prevaleça mesmo se mais sombria nos próximos retratos. Deixem o photoshop em paz e socego!

*