Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

31
Mai07

UPS!

ex Kamikaze
«A CGTP faz mal em anunciar grandes números de adesão à greve em actividades que mal foram perturbados por ela (por exemplo, os transportes ferroviários). Pois de duas, uma: ou os números são imaginários, ou a greve provou que essas actividade funcionam perfeitamente com muito menos trabalhadores...»

Vital Moreira, no blog Causa Nossa

29
Jan05

Augúrios

ex Kamikaze
Nos tempos de António Costa, os novos magistrados passaram a receber, na respectiva cerimónia de tomada de posse, um computador portátil, impressora e demais equipamento acessório.
Augura-se que, nas próximas cerimónias do género, o futuro Ministro da Justiça, a coberto de um pacto de regime já esboçado no debate de 5ª feira passada, na RTP passe a distribuir aos nóveis juízes e procuradores da República, este equipamento muito mais moderno:



28
Jan05

Ministério Público fora dos tribunais, já!

Incursões
É a palavra de ordem do inefável Pinto Ribeiro ou lá como se chama. Tudo por causa dos "contactos".

Também acho muito bem! Um MP sujeito à medida de coacção de proibição de contactar, por qualquer meio, com juízes, advogados e alternadeiras! Um MP de motoreta tipo distribuidor de pizzas, de lado para lado e de tribunal em tribunal, a apontar adiamentos e a aviar promoções!

O resto, que se ... [impropério]!

Viva a liberdade de asnear!

04
Jan05

O lacre

ex Kamikaze
Ou Um acto eleitoral na sociedade de informação Ou a melhor receita para a abstenção

"Sou magistrado do M.P.
Hoje acabei por ter de tirar uma boa parte do dia para votar por correspondência. É que o meu boletim de voto para as eleições para o Conselho Superior do MP tem de dar entrada na PGR até ao próximo dia 6.
Assim, tenho de comprar dois envelopes.
No primeiro introduzo o boletim e lacro.
Oops – lacre. Procuro no tribunal: não têm desde o século passado. Inicio, então, um périplo pelas papelarias das redondezas. Ignoram o que seja, já não vendem, ninguém comprava.
Passe a publicidade, encontrei, finalmente, na Fernandes.
Regresso ao tribunal. Lacro finalmente o envelope.
Introduzo no segundo; lacro-o.
Num papel, identifico-me e assino. Vou à Secretaria, peço para me aporem o selo branco do tribunal (sim… a alternativa era o reconhecimento em notário).
Dirijo-me à estação de correios e, depois de aguardar 30 minutos pela minha vez, remeto-o, sob registo, para a PGR.
E agora só tenho de confiar na eficácia dos CTT porque, como é óbvio, a data de recepção é algo que não está no meu domínio.
Por favor, quando tiverem um bocadinho, mudem o regulamento eleitoral (é que mais parece o guião de um rally paper). "

enviado por Teresa Almeida, Procuradora da República (eu, como trabalho em Lisboa e no meu tribunal também não há lacre, vou “tirar” uma hora no dia 6 e vou à PGR votar)