Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

04
Out11

O Silencioso Cerco aos manifestantes de Wall Street

JSC


Há mais de duas semanas que Wall Street  está parcialmente ocupada por centenas de manifestantes . No Sábado passado acabaram detidos mais de 700 manifestantes. Desde então muitos outros têm sido presos e conduzidos à força para carros celulares.


O protesto é contra o capital financeiro, a banca e os grandes grupos económicos, que responsabilizam pela crise actual. Hoje o movimento «Occupy Wall Street» voltou em força, a afrontar o centro financeiro de Nova Iorque, concentrando-se em frente à Bolsa e à Reserva Federal, tendo sido detidos mais uns tantos. Este movimento começa a alastrar a outras cidades americanas, com manifestações em Los Angels, Boston, Chicago e outros centros financeiros. Também começa a captar apoios de notáveis, com destaque para o cineasta Michael Moore e Noam Chomsky.

 

Esta gente protesta contra Wall Street e as instituições financeiras que criaram o ciclo vicioso que levou a imensa concentração de riqueza. Noam Chomsky declarou que 1% dos financeiros e empresários dos EUA exploram 99% da sociedade e que são culpados pela grave crise econômica que abala o país, desde 2008, gerando desemprego, falências, despejos e miséria.


Estas notícias correm muito nas redes sociais e muito pouco nos jornais e televisões, onde não passam de simples notas de rodapé.


É espantoso como uma manifestação nas arábias dá direito a mandarem para lá umas jornalistas, disfarçadas de árabes, para fazerem a cobertura do evento. Neste caso, um movimento contínuo, que se iniciou a 17 de Setembro, que alastrou a outras praças financeiras dos EUA, não é objecto de qualquer relevância jornalística. Notável.


Claro que este movimento não vai mudar nada, porque como diz um dos seus apoiantes, os senhores  Wall Street são grandes demais para quebrar e também são grandes demais para ir para a cadeia. E sã,o ainda, grandes demais para poderem ser hostilizados pelos donos dos grandes meios de comunicação.

 

5 comentários

Comentar post