Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

20
Jun13

Au bonheur des Dames 342

d'oliveira

 

 

Vává, velho sacana


(we few, happy few, we band of brothers...)
Mas que raio te deu para assim bruscamente nos deixares? assim, sem mais, tu que eras mais novo do que eu, desapareces para parte incerta, vítima como de costume de uma doença dessas, canalhas e inomináveis, que à semelhança de muitos humanos, nos aguardam escondidas numa esquina...

Foi pelo rui Namorado que a notícia me atingiu há poucos minutos. À bruta e sem pormenores, aliás desnecessários.

Não és o primeiro, muitos te precederam, alguns absolutamente anónimos mas todos, todos, irmanados naquela aventura de 69 que começou bem antes, insegura, incerta, obra de poucos perante a violência do regime e a indiferença de muitos. E é bom relembrar a nossa extrema solidão que, anos depois, se transformou numa apressada multidão ansiosa de provar o improvável. 

Durante anos, cinco para ser mais preciso, continuámos a encontrarmo-nos conspirando, arriscando, penando. Depois o 25 de abril lá nos foi separando que a vida é assim mesmo. separando mas não matando aquela absoluta camaradagem, aquela irmandade forjada na luta.

Band of brothers, fomos e somos.  


"...quem hoje derrama o seu sangue junto comigo passa a ser meu irmão...

Poderá vir de humildes origens mas o dia de hoje fará dele um nobre...

E os senhores de Inglaterra que agora dormem, saber-se-ão amaldiçoados por não estarem aqui. E sentirão a sua honra escoar-se, ao ouvirem um outro contar que lutou connosco no dia de S Crispim."

Desculpa a versão provavelmente esfarrapada do Henrique V mas na verdade, há que reivindicar um passado difícil mas cheio de futuro, mesmo se os dias, os tristes dias de hoje, nos façam descrer, desanimar, duvidar. Fizeste parte desse passado, honraste esse passado durante toda uma vida que agora finda. 

a lei da morte sobrepõe-se à da vida. 

Mas, mesmo sabendo disso, não te perdoo, velho amigo, grande sacana.

Saravah, Vává!


(eu queria postar uma fotografia tua, menos institucional, aquela em que estás com o Celso e o Roupiço mas a minha inabilidade ou as protecções da imagem impediram-me. De todo o modo, aí estás inteiro e limpo, numa Magna na Via Latina, nesses dias vinho e rosas de 1969. Também não está mal...)





3 comentários

Comentar post