Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

12
Mar06

Lisboa

Incursões
Em 1994, saído do jornalismo e já com os dois pés na advocacia, acabei por anuir a uma pressão de Luís Filipe Menezes para resolver uns problemas na secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares (ou do secretário de Estado). O contrato era este: ia a Lisboa à segunda e vinha à terça. Durante o resto da semana, ia cumprindo a missão. Cumpri-a.

Mas não foi uma tarefa fácil. As viagens a Lisboa e a estada em Lisboa eram-me penosas. Tão penosas, que, logo no primeiro dia, a jantar em casa de Menezes, estive a milímetros de lhe dizer que não voltava mais. Aguentei um ano e tal mas, ainda antes das eleições, avisei que, fosse qual fosse o resultado, não queria continuar.

A experiência até era engraçada, era bem paga e essas coisas, mas eu não gostava de ir a Lisboa. Ainda hoje não gosto. Quando lá vou, sempre que não consigo evitar, vou ao tribunal e volto logo que posso. E, no entanto, acho que Lisboa é uma cidade bonita.

Provinciano. Eu sei que sou. Um provincianismo que condicionou toda a minha vida e uma carreira. Foi assim no jornalismo e foi assim na política. Mas, prefiro assim. Muito melhor do que outros provincianos que conheço e que, mal chegados a Lisboa, exibem o seu ridículo pseudo-cosmopolitismo, impantes de uma sabedoria sobre tudo.

Mas talvez nem tudo seja provincianismo. Porque eu acho que seria capaz de viver em Paris ou Nova Iorque, em Madrid ou Barcelona. O problema deve ter mesmo a ver com Lisboa. E eu nunca percebi por quê.

4 comentários

Comentar post