Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

Inexplicável, eu sei.

Incursões, 24.04.06
Diziam-me há dias, por estas bandas: homem, você é um desafio! Talvez seja. Ou, mais do que isso, talvez seja um deficiente emocional. Um tipo de todas as paixões que, pelas circunstâncias, se tornou pouco menos que inexpugnável e que, porque amou tanto e se desiludiu de amor, se tornou um céptico, nunca um cínico, que isso não faz parte do código genético do miúdo que se apaixona, quase pueril. E tenho uma tragédia colada a mim: sou um desbocado. Tenho um imenso sentido estratégico e táctico, sou capaz dos melhores conselhos, sou um combatente (talvez um guerrilheiro), um senhor da guerra, um cavaleiro andante. Mas quando se trata de coisas minhas, sou o desajeitado, o provocador, o inadaptado, o auto-excluído, um tipo de rins pouco flexíveis e de coluna vertebral absolutamente inquebrável, mesmo quando fico inseguro das coisas de que já fui seguro e hei-de voltar a ser.

Sobrevivo assim. Gosto de mim assim, ainda que, assim, coleccione inimigos e perplexidades. Mas gosto de mim assim. Mesmo quando sei que, sendo assim, me prejudico.

(depois de uma interrupção duradoura, continuo o post, que já não será o mesmo)

Por força disso, e por causa de todos aqueles que veneravam a minha inquietude supostamente inteligente e cresceram na minha sombra, porque isso lhes dava jeito e subiram na vida e que depois, quando fui torcionado, me esqueceram, tornei-me um tipo demasidado cauteloso. Não apenas tímido, que isso sempre fui, mesmo quando as pessoas se riam quando eu dizia que era tímido (coisa que até parecia petulância), porque achavam que eu tinha um lata enorme e dizia as coisas a brincar.

Esta noite jantei sozinho. Na minha circunferência. Tinha um simpático e motivante convite para jantar em grupo. Recusado em nome de um compromisso que não havia e que inventei. Não ousei. Fui injusto com quem me convidou. Mas não tive coragem. Fui onde fui para conhecer uma pessoa que queria conhecer. Não quis que parecesse mais do que isso, ainda que eu saiba que o convite foi amigo. Fui eu quem perdeu. Todas as coisas. A sabedoria dos outros e a tese explicada do pássaro ferido na asa.

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2