Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

30
Jul18

Estes dias que passam 375

d'oliveira

85ca05e41bb9bfc0e2d158042d585846.jpg

 

A ver se nos entendemos

(ou nem todos os robles são carvalhos)

mcr 30.07.18

 

 

(não conheço nem tenciono vir a conhecer o senhor Ricardo Robles. Não que lhe tenha alguma ojeriza, longe disso. Não gosto de criaturas dogmáticas e o homenzinho provou abundantemente ser isso com a sua campanha sobre alojamento e arrendamento. Aliás a sua formação política é, neste capítulo, um exemplo de gritaria e agressão verbal. Fosse este caso com outro, mormente alguém do PPD ou do CDS, e teríamos uma autêntica antologia do vitupério e da condenação política. Portanto: RR só o Rolls-Royce- e dos antigos nada dessas modernices que por aí circulam. Fico-me pelos primeiros Phantom, eventualmente o III. Algo que provavelmente o jovem robles acharia uma velharia)

 

Vamos por partes.

O cidadão Ricardo comprou com uma mana um prédio em Alfama por cerca de 370.000 euros. Fez-lhe obras no valor de 650.000. È dinheiro, muito dinheiro mas qualquer um pode ser rico sem qie isso o obrigue a “pagar a crise” mesmo se alguns camaradas de Robles tenham esse mote por justo e estratégico.

As obras implicaram a saída de inquilinos, um dos quais vem agora queixar-se de ter sido despejado e por isso terem sido anulados quatro postos de trabalho (Verdade? Mentira?)

O mesmo cidadão Ricardo optou por uma renovação do imóvel que abrange 11 apartamentos T1 aptos para arrendamento de curta duração a turistas e três lojas.

Concluídas as obras o prédio foi posto à venda por mais de 5 milhões de euros e na publicidade referia-se justamente a virtualidade de arrendamentos de curta duração.

Seis meses depois (fins de 2017 ou inícios de 2018?), desapareceu a menção de venda.

Robles alega que o prédio era para habitação dele e de uma familiar mas entende-se mal que, tendo a possibilidade de viver numa casa com espaço, lhe preferisse um cochicho de escassas dezenas de m2. De resto habitava em casa própria, bem mais ampla e depois terá comprado uma terceira habitação igualmente maior do que qualquer dos apartamentinhos para ACD.

Nada disto é ilegal. Comprar e vender, alugar, aproveitar o boom antes que a bolha rebente. Eu mesmo, proprietário bem mais pequeno do Ricardo de bom grado venderia um prédio na zona nobre pelos mesmos milhões. Todavia, não ando a bradar aos céus e à terra contra os malvados senhorios, contra a “especulação” imoral e imobiliária que grassa em Lisboa. Bem pelo contrário, aguento em silêncio, as pequenas falhas dos inquilinos as rendas miseráveis que pagam e enfureço-me com a CML (de que o senhor Ricardo é um dos expoentes mais ruidosos). Até já tive uma familiar de uma inquilina que, abusivamente e em nome da mãe, entendeu baixar unilateralmente uma renda. E passou a pagar menos cem euros! Dessa vez não perdoámos: processo para despejo. A pobre mãe entendeu a burrice da filha e lá veio recompor a situação...

O que neste caso é de relevar é a tentativa tosca, grotesca, ingénua de Robles para disfarça algo que nem precisava de desculpa.

Dizer que o preço de venda do prédio saíra direitinho da cabeça da agência vendedora brada aos céus. O pobre do Ricardinho nem saberia disso. Ou nem ousara opor-se. Ou...

Agora, de corda ao pescoço, mas sempre firme no seu posto de vereador, vem dizer que vai pôr as suas partes no mercado de habitação. E lembra que tem uns inquilinos velhinhos a pagar 170 euros. Por esses preço alugo já tês apartamentos, prometo estimá-los e juro que não os subalugarei. Servirão para guardar a livralhada e servir de poiso a mim e aos familiares quando se vai a Lisboa.

Se alguém conhece este brioso senhorio social por favor avise-o desta minha proposta que eu sou pessoa de palavra.

As esforçadas raparigas do Bloco já disseram sobre isto tudo o que poderia ser dito e que só não faz rir porque elas carecem de sentido de humor. A senhora Martins chegou mesmo a falar de conspiração. Jornais, revistas, televisão, políticos de vários quadrantes, o engraxador da esquina, dois estudantes à procura de um nicho, todos sem excepção conspiram contra o bom nome e honra do bloquismo puro e purificador.

Esta gente não aprende, nunca aprenderá e jamais perceberá que os telhados de vidro aparecem invariavelmente nas casas onde se acoitam. As pedras que se atiram aos outros às vezes, funcionam como boomerang. Ora descalcem lá essa bota.

 

(apareceu, na esplanada onde dou ao dedinho, uma amiga e o tempo passou bem agradavelmente do que na companhia de Robles, Martins et alia.)

Entretanto, dizem-me que a criatura se demitiu de vereador e de todos os cargos no BE.

Tarde piou. Deveria tê-lo feito quando lhe descobriram a careca. Agora .a demissão é só a confissão pungente e derrotada de uma mentirola que nos queria fazer passar por idiotas.

Sic transit gloria mundi, mesmo a escassa gloria de um arcanjo justiceiro com asas de cera. Perdeu-se um político dado ao esconjuro imoderado e eventualmente ganhou-se um especulador imobiliário. Cheira-me que já não consigo alugar-lhe os apartamentos a preço de bloco.

 

A figura: máscara Fang   do tipo dito "jano"E