Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Incursões

Instância de Retemperação.

Incursões

Instância de Retemperação.

estes dias que passam 600

d'oliveira, 13.04.21

Unknown.jpeg

Liberdade condicional 9

Ruído de botas ao longe

mcr, 13 de Abril

 

 

Na Birmânia morre-se com facilidade. E não apenas agora, com a renovada Junta Militar que, aliás, nunca deixou de estar presente. Digamos que, actualmente, está mais presente, mais duramente, com mais mortes do que o habitual. 

Mas, mesmo no breve intervalo “democrático” vigiado houve sempre uma minoria a pagar as favas e a ser perseguida: os Karen, ou Kaiyn para ser mais rigoroso. O principal pecado desta minoria é ser não budista. Também é verdade que houve durante bastante tempo uma forte propensão à secessão  e uma guerrilha que durou muitos anos.

Como estes, mas sobretudo por motivos religiosos, o estado birmanês perseguiu e persegue os muçulmanos, a minoria dita “rohingya”. Nos estados vizinhos, especialmente no paupérrimo Bangladesh, há centenas de milhares de refugiados que subsistem miseravelmente. São os budistas, religião maioritária  quem os persegue com mais afinco. De todo o modo há outras minorias que também não se sentem confortáveis neste bizarro Myanmar apadrinhado e protegido pela China e pela Rússia o que, até à data, tem impedido a ONU de agir.

O regresso em força dos militares aumentou os níveis já significativos de repressão de um Estado que nunca foi meigo para a população. Agora, são os democratas quem morre diariamente em manifestações. Lembro, apenas, que as duas anteriores minorias não tiveram a vida fácil quando estes alegados democratas (que agora são perseguidos) governavam sob a tutela nunca definitivamente abandonada dos militares.

A China aproveita para acertar o passo aos uigures, outra minoria de religião muçulmana, para manter o Tibete sobre um férreo (e esquecido) controlo e, já agora para acabar com as aspirações “libertárias” de Hong-Kong ou de Macau.

Desta última parcela do extinto império, cada vez se sabe menos, a nível oficial. Ou está tudo na melhor das harmonia ou o Ministério dos Negócios Estrangeiros está ainda mais cego do que eu. E sem cura que se veja. Aliás sem sequer se esperar que a actual miopia fique por aqui. Vai aumentar. Bem se vê que não querem levar as injecções mensais nos olhos. E têm razão que cada tratamento vai para os 350 euros....

 

 

Notícia respigada no Público de hoje. Já se encontrou uma tradutora para o poema da investidura de Joe Biden. Quem aposta numa mulher e negra, acerta plenamente. O jornal acrescenta que a senhora Carla Fernandes é jornalista e tradutora. Acredito piamente e espero que ela só traduza outras mulheres negras. Ou então a campanha contra a tradutora branca holandesa é apenas uma parvoíce de mau gosto...

Como diria o Manel Sousa Pereira: “É ptó que estamos...!”

E é mesmo....

PS procura-se tradutor negro, urbano, homem ( mulher não serve!) para os portugueses terem direito a ler os magníficos poemas de Langston Hughes, americano, negro e brilhante. Mas, até hoje, só traduzido por brancos ignorantes e presumidos...